A Presença

Diário de Jessica Amaral

12 de Maio – O meu marido acordou novamente cansado, segundo ele, “ainda mais cansado do que se havia deitado”. Aparenta estar um pouco abatido. Se calhar devia obrigá-lo a consultar um médico.

13 de Maio – Ontem não consegui convencê-lo a ser consultado. Hoje farei um cozido à portuguesa para o nosso jantar. Pode ser que com o seu prato favorito ele me dê ouvidos.

14 de Maio – A visita ao médico não foi conclusiva. Não parece haver nada de errado com ele, talvez seja apenas cansaço. Vou tentar convencê-lo a trabalhar menos horas. Quase de certeza que a culpa é do patrão, aquele palhaço.

15 de Maio – Ele desmaiou no trabalho. O médico deu-lhe uma semana de baixa. Ele parece andar muito mais pálido.

16 de Maio – Ele acordou muito melhor, quase parecia outro. Está confirmado que era o trabalho que andava a dar cabo dele.

17 de Maio – Hoje ele estava abatido e apático. Vamos consultar o médico outra novamente.

18 de Maio – O médico, aliás, os médicos que o observaram ficaram admirados com o estado de saúde dele. Eles acham que deve ser algum problema metabólico. A partir de agora, ele deverá consumir o dobro das calorias para ver se isso o ajuda.

19 de Maio – Um dia com a nova dieta e já se notam alguns resultados positivos. Ele hoje até quis dar um passeio pelo parque. Está muito mais animado.

20 de Maio – O estado voltou a deteriorar-se. Não consigo compreender, vou ficar acordada durante a noite caso ele precise de alguma coisa.

21 de Maio – A noite foi muito estranha. Quando dei por mim tinha adormecido. Ao acordar, vi uma névoa azul a pairar sobre ele. O susto foi tão grande que não pude evitar gritar. Depois foi muito confuso, porque não se viu mais a névoa e ele acordou. Deve ter sido só um pesadelo.

22 de Maio – Voltei a acordar a meio da noite e voltei a ver aquela névoa azul. Algo me diz que não é um sonho e que aquilo é o responsável pela doença do meu marido.

23 de Maio – Eu não sou supersticiosa, mas esta situação deixa-me assustada. Voltei a ver o espírito. Aproximei-me para ver se era real ou não, mas quando estava perto algo me empurrou violentamente contra o sofá. Logo à noite tentarei expulsá-lo. Disseram-me para lhe atirar com água benta. Fui a igreja buscar um frasquinho dela. Esta noite estarei preparada. Deus me proteja desta influência maligna.

Jornal de Notícias, 25 de Maio

Duplo Homicídio em Tavira

Na tarde passada um casal na casa dos quarenta foi encontrado morto por uma vizinha. Não tivemos acesso ao local do crime, mas o comandante da GNR, o tenente Abílio Matos, descreveu-nos como sendo um horror e que a mulher fora desmembrada. Não houve qualquer porta arrombada ou sinais de intrusão. As autoridades descartaram a hipótese de roubo e garantiram que iriam investigar cuidadosamente o caso.

Este texto foi escrito como trabalho de um grupo de escrita.

Leia também

Deixar uma resposta