Livros: Gente Pobre

Já é a terceira obra que leio de Fiódor Dostoiévski.

Autor: Fiódor Dostoiévski

Sinopse: Em 1846, aos 25 anos de idade, Doistoiévski publica o seu primeiro romance Gente Pobre que anuncia a grandeza da sua obra romanesca. Escrito sob forma epistolar, contém muito pouco de descrição, mas em contrapartida o autor conferiu-lhe uma intensidade emocionante. Passa-se num bairro pobre de São Petersburgo, onde um funcionário de meia-idade troca correspondência com uma jovem costureira. Demasiado pobres para se casarem, o seu amor passa todo pelas cartas, onde contam um ao outro os pequenos acontecimentos do dia-a-dia e revelam o seu mundo íntimo, marcado pelo sofrimento e pela humilhação.

Tenho de confessar que Fiódor é um daqueles escritores que me fascina. Depois de ler Crime e Castigo, as minhas expectativas eram grandes e não fiquei desapontado. Apesar de ser o seu primeiro livro e de o autor não estar tão maduro como na sua obra prima, notam-se os traços característicos do autor. As personagens, que vivem num São Petersburgo empobrecido, são-nos apresentadas com uma personalidade complexa e com uma história cheia de voltas e reviravoltas, de modo que é fácil identificarmo-nos com elas. A acção é-nos apresentada através de cartas, com as quais tomamos conhecimento da miséria financeira e emocional que aflige as personagens. O único ponto menos positivo é o facto de a meio do livro a história parecer arrastar-se.
Recomendo a quem não conhece ainda o autor.
Classificação: 4 estrelas

Leia também

Deixar uma resposta