Chá de Domingo #47: Criar Personagens – Parte 1

Hoje vamos falar de uma fundamental para quem escreve ficção: as Personagens.

Para contar uma história, necessitamos sempre de, pelo menos, uma personagem. Para mais, numa história cais complexa e longa, podem haver centenas de personagens, por exemplo O Senhor do Anéis ou o Jogo dos Tronos. Essa personagens precisam de ser desenvolvidas e trabalhadas. Todas elas têm uma história, motivações, medos, etc, e é essa profundidade que ajuda a trazer realismo ao livro, mesmo que este se passe A long time ago in a galaxy far, far away…

As personagens tem sempre um cunho único por parte do autor. Há várias técnicas para as construir e eu não me vou centrar em nenhuma em particular, mas antes deixar os aspectos gerais. Dependerá, também, do autor, a profundidade com que quer talhar a personagem, consoante a sua relevância para a história.

O primeiro ponto a ter em conta é o passado. O que é que aconteceu à personagem antes do início da história? Esta é uma das questões que não podemos deixar de responder, pelo menos, para as personagens principais. Podemos dividir o passado em duas grandes categorias: pessoas e eventos. No topo disso podemos também incluir a educação. A qual pode ter uma importância na construção do carácter.

No caso do eventos: Onde viveu? Como foram os seus primeiros anos? Que eventos traumáticos ou memoráveis teve? Experiências de vida? Como é que isso a influenciou física e psicologicamente? Que mudanças de perspectiva isso lhe trouxe?

No caso das pessoas: Com quem viveu? Quem é que esteve presente na sua vida durante longos períodos de tempo? Como é que a influenciou? Como é que se relacionam essas pessoas com os eventos acima referidos? Como é que a personalidade dessa personagem foi moldada?

O segundo ponto importante é o presente. Podemos dividir em várias categorias: interesses e objectivos, posses (materiais ou não) e localização. Os interesses e objectivos podem ser o reflexo do passado, mas também das condicionantes presentes. É essencial que sejam definidos, pois influenciam todo o rumo da história. Em termos de posses, convém referir objectos que tenham um valor especial para a personagem, por exemplo uma carta de amor ou uma foto de uma pessoa querida. Por fim, a localização: o clima, cultura, religião, economia, condições de vida, como é que a personagem se relaciona com o local? Está a adaptar-se bem ou mal? Pode ser interessante contrastar com o local onde a personagem cresceu.

Por fim, quem é a personagem? É pobre ou rica? Qual a sua função na sociedade? É inteligente? O que é que o distingue dos demais? é religioso ou opõem-se à religião? Como é que a personagem veio parar a esta situação? As situações da história vão mudá-la?

É com a resposta a estas perguntas que iremos decidir as acções e respectivas consequências da personagem durante o livro. Quais são as vossas técnicas para a construção de personagens?

Leia também

2 comentários

Deixar uma resposta